Alemanha pagará caro por tolerar máfia palestina

Top Banner eTeacher

A Máfia Palestina - Muçulmana na Alemanha: Quase 2.000 pessoas de toda a Alemanha participaram de um velório de um dos maiores criminosos na Alemanha, Nidal Remo, 36, que foi executado por disparo com precisão, em um lugar público lotado na capital alemã por três assassinos profissionais desconhecidos.

Aparentemente, os assassinos eram membros de uma organização ou de uma família criminosa, rivais daqueles que tinham sido amigos do assassinado. O criminoso, de origem palestina - como foi mostrado a todos na bandeira da Palestina que foi colocada em seu caixão - foi assassinado enquanto caminhava com sua esposa e filhos em uma área pública.

Alguns dias antes, Remo recebera uma advertência de uma fonte da polícia sobre informações sobre a intenção de alguns criminosos de assassiná-lo, mas preferiu ignorar as informações. Como criminoso, ele achava que ninguém ousaria machucá-lo.

O Estado declarou que Remo Nidal era conhecido no antro do crime alemão e sua sepultura foi fornecida pela Autoridade da Comunidade Muçulmana de Berlin, estavam presentes em seu funeral todos os chefes das principais famílias do crime na Alemanha: Mahmoud Al-ziin, conhecido por seus associados "para Presidente", Issa Remo, e três chefes da família Abu Shaker, Nasser Rommel e Arafat - com quem o homem assassinado trabalhava. Diversos cantores famosos de hip-hop também participaram do funeral, a cena era praticamente cinematográfica de filmes de conspiração e crime.

O Hip-hop na Alemanha está muito ligada ao submundo, a criminalidade e ao tráfico de drogas. O cantor mais conhecido e conceituado é "Bushido", cujo verdadeiro nome é Anis Mohamed Youssef Ferchichi, era uma vez um parceiro de negócios do Abu Shaker - um fato que não impediu que os meios de comunicação alemães fazem dele o ídolo das massas e dar-lhe muitos prêmios. Isso, sabendo que ele dissemina idéias neonazistas, fusão, homofóbico, anti-semita e anti-israelense.

"Bushido" não compareceu ao funeral. Ele havia brigado recentemente com seus ex-aliados e agora se sentia ameaçado, ele pode ser o próximo da lista.

O assassinato de Nidal Remo acendeu as luzes vermelhas para a polícia de Berlim, uma cidade considerada um dos centros do crime organizado na Alemanha, isto está até parecendo cena do seriado BlackList na NBC, mas não é, é a vida real e isto está acontecendo no coração da Europa.

Um oficial da polícia de Berlim alertou contra o armamento de famílias criminosas árabes, que controlam o submundo da capital alemã. Eles dominam o roubo, tráfico de drogas, extorsão e violência física desde o final dos anos 70 e têm sido o foco das famílias criminosas árabes na Alemanha, com a imigração turca, o perigo de uma dominação muçulmana no crime é iminente.

Um dos assaltos mais audaciosos e ostensivos por trás de uma das famílias foi a invasão de um dos museus mais conhecidos de Berlim, o Museu de Bode, nele, eles roubaram uma moeda de ouro pesando cerca de 100 quilos, e até agora, a polícia alemã praticamente não fez nada significativo para parar a máfia palestina - islâmica no país.

Fonte: IsraelHayom - Foto: Deutsche Welle

eTeacher Banner Central