As raízes judaicas de Bruce Lee

Top Banner eTeacher

Em um vídeo muito interessante baseado em uma nova biografia de um dos mais famosos lutadores e astros de cinema no gênero orienta, a história de Bruce Lee revela seu grau de parentesco com seu avô, um judeu da Holanda, Moses Hartog Bosman.

Em uma história que envolve pelo menos três continentes, o vídeo explica o desenrolar da vida de seu avô, seus filhos e seus netos.

Bruce Lee se tornou uma verdadeira lenda. A revista Life nesta semana esta nova biografia pela editora Simon & Schuster. A biografia meticulosamente relatada e belamente escrita por Polly sobre o mestre das artes marciais contém muitos detalhes meticulosos e algumas grandes surpresas, nenhuma mais emocionante do que isso: Bruce Lee era judeu, ou pelo menos, em parte judeu.

Resumo biográfico de Bruce Lee

Bruce Lee, nascido Lee Jun-fan, em chinês 李振藩 (São Francisco, 27 de novembro de 1940 — Kowloon, 20 de julho de 1973) foi um artista e instrutor de artes marciais, filósofo, actor e cineasta norte-americano de Hong Kong, fundador do Jeet Kune Do e filho do astro da Ópera cantonesa Lee Hoi-Chuen. É amplamente considerado por muitos comentadores, críticos, pela mídia e por outros artistas marciais como um dos mais influentes artistas de artes marciais de sempre e um ícone da cultura pop do século XX. É, muitas vezes, dado crédito a Lee por ter ajudado a mudar a maneira como os asiáticos eram apresentados nos filmes americanos.

Lee nasceu no bairro de Chinatown em São Francisco filho de pais oriundos de Pequim e cresceu com a família em Kowloon. Foi introduzido na indústria cinematográfica pelo seu pai aparecendo em diversos filmes como um ator infantil. Lee foi para os Estados Unidos com dezoito anos para ter ensino superior na Universidade de Washington, em Seattle,[7] onde começou a ensinar artes marciais. Os seus filmes em Hong Kong e Hollywood elevaram os filmes tradicionais de artes marciais de Hong Kong para um novo nível de aclamação e popularidade, criando, no Ocidente na década de 1970, um grande interesse nas artes marciais chinesas. A direção e o tom dos seus filmes mudaram e influenciaram as artes marciais e os filmes de artes marciais tanto nos Estados Unidos, como em Hong Kong e no resto do mundo.

Lee tornou-se conhecido pelo seu papel em cinco longas-metragens: The Big Boss (1971) e Fist of Fury (1972) de Lo Wei; Way of the Dragon (1972) da Golden Harvest, realizado e escrito por Lee; Enter the Dragon (1973) da Golden Harvest e Warner Brothers e The Game of Death (1978), ambos com realização de Robert Clouse. Lee tornou-se uma figura icónica por todo o mundo, particularmente entre os chineses, visto que ele retratava o nacionalismo chinês nos seus filmes.[10] Treinou a arte do wing chun e, mais tarde, combinou as suas influências de outras fontes no espírito da sua própria filosofia de artes marciais, à qual chamou jeet kune do (O Caminho do Punho Interceptor). Lee tinha dupla nacionalidade, americana e de Hong Kong.[11] Morreu em Kowloon Tong a 20 de julho de 1973, com 32 anos.

Bibliografia

  1. «The Voice of Asian American- Chinese American Hero: Bruce Lee». Consultado em 8 de maio de 2009.
  2. «Jun Fan Jeet Kune Do». Bruce Lee Foundation
  3. Stein, Joel (14 de junho de 1999). «Bruce Lee: With nothing but his hands, feet and a lot of attitude, he turned the little guy into a tough guy». The Time 100. Nova Iorque. Consultado em 7 de junho de 2010.
  4. «From Icon to Lifestyle, the Marketing of Bruce Lee». The New York Times. 11 de dezembro de 2009. Consultado em 3 de junho de 2011.
  5. «Bruce Lee's 70th birth anniversary celebrated». The Hindu. India. 30 de novembro de 2010. Consultado em 3 de junho de 2011.
  6. Stein, Joel. «Bruce Lee: With nothing but his hands, feet and a lot of attitude, he turned the little guy into a tough guy». The Time 100
    Lee 1989, p. 41
  7. «Bruce Lee inspired Dev for martial arts». The Times of India. 1 de julho de 2010. Consultado em 3 de junho de 2011. [ligação inativa] |deadurl= e |datali= redundantes (ajuda)

eTeacher Banner Central