Estados Unidos vetou resolução da ONU rejeitando a Declaração de Trump sobre Jerusalém

Top Banner eTeacher

Os Estados Unidos vetou resolução da ONU rejeitando a Declaração de Trump sobre Jerusalém

Os Estados Unidos cancelaram uma resolução da ONU que pretende reafirmar o status de Jerusalém como não resolvido, depois que 14 membros do Conselho de Segurança da ONU votaram a favor da resolução hoje, segunda-feira, 18-12-2018, em resposta à decisão do presidente dos EUA, Donald Trump, de reconhecê-la como a capital de Israel.

Donald Trump está de parabéns, ele está mostrando que nação lidera o Mundo civilizado. Esta foi a primeira vez que os Estados Unidos exerceram seu poder de veto no Conselho de Segurança da ONU desde que Trump assumiu o cargo.

Após a votação, a representante americana Nikki Haley disse que a convocação da votação era "um insulto" contra os Estados Unidos e isto não será esquecido.

Além disso, Nikki Haley  declarou a imprensa mundial: "Nós fazemos isso sem alegria, mas fazemos isso sem nenhuma reticências", e que "Estados Unidos não será informado por nenhum país onde podemos colocar nossa embaixada".

O Presidente dos Estados Unidos e Nikki Haley estão dando uma lição as nações do Mundo. Ela acrescentou: "O fato de que este veto esteja sendo feito em defesa do papel dos Estados Unidos no processo de paz no Oriente Médio não é uma fonte de constrangimento para nós. Mas deve ser um constrangimento para o restante do Conselho de Segurança".

O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu agradeceu os EUA por vetar a resolução:

"Obrigado, embaixador Haley. Em Hanukkah, você falou como uma Maccabi. Você acendeu uma lâmpada de verdade. Você dissipou a escuridão. Um derrotou os muitos. A verdade derrotou as mentiras. Obrigado ao presidente Trump." Acrescentou Benjamin Netanyahu.

O embaixador palestino na ONU Riyad Mansour disse que "com este veto, os EUA perderam uma oportunidade para corrigir a decisão ilegal de 6 de dezembro". Ele acrescentou ainda que os EUA "permanecem no lado errado da história" e que os palestinos "reiteram que a decisão de Trump não tem efeito legal sobre o status de Jerusalém".

"Na sequência da decisão dos Estados Unidos ... a situação tornou-se mais tensa com o aumento dos incidentes, especialmente os mísseis disparados de Gaza e os confrontos entre palestinos e forças de segurança israelenses", disse o enviado da paz da ONU ao Oriente Médio, Nickolay Mladenov. Donal Trump por sua vez deixou claro a imprensa que Israel não é o problema do Oriente Médio, ele é parte da solução. São os árabes que se atacam e se massacram, países uns contra os outros, sem motivos reais, somente fantasmas espirituais.

Após o veto dos EUA, o Ministério dos Negócios Estrangeiros do Egito disse que os estados árabes, que acordaram no início deste mês buscar uma resolução do Conselho de Segurança, se encontrariam para avaliar a situação para determinar quais os próximos passos. Árabes perdedores são a pior coisa do Mundo, perderam todas as guerras contra Israel e ainda não dão o braço a torcer, não aprendem, ao invés de continuarem inimigos deveriam a muito fazer paz e lucrar como aliado. Mas infelizmente, inteligência não é o lado forte dos líderes árabes.

eTeacher Banner Central
3 respostas
  1. Eduardo
    Eduardo says:

    Pode espernear ONU sobre a decisão de Donald Trump de reconhecer Jerusalém como capital de Israel. Nada vai adiantar, é perda de tempo já está decidido. Parabéns Trump.

    Responder
  2. Edivani Eunice de santana Teixeira
    Edivani Eunice de santana Teixeira says:

    Eu como cidadã brasileira espero que esse governo corrupto caia e que em breve seja eleito o presidente que tenha a atitude digna de Donald Trump e que siga os seus passos em apoiar Israel, afinal foi lá que nasceu Yeshua. Parabéns Trump

    Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *