Exclusivo: Descoberto Calendário Solar de Qumran

Top Banner eTeacher

Calendário Solar de Qumran - Os pesquisadores da Universidade de Haifa, Eshbal Ratson e Prof. Jonathan Ben-Dov conseguiram decifrar um dos dois últimos pergaminhos do Mar Morto que ainda não foram publicados.

Os pesquisadores levaram quase um anos para juntar 60 partes de uma trecho que foi escrita de forma codificada. O resultado foi surpreendente e demonstra que os membros da seita judaica no Deserto da Judeia na realidade utilizavam um calendário solar com 364 dias por ano.

Além disso, ele inclui um trecho especial para os dias que marcam as mudanças de estações do ano.

Mais de 900 manuscritos foram encontrados em Qumran andre os anos de 1940 e 1950 e ao longo dos anos eles tem sido restaurados e publicados. O pergaminho decifrado é composto de 60 fragmentos que estavam codificados.  

Este calendario é o mais próximo do calendário gregoriano que utilizamos no dia de hoje e ele difere do tradicional calendário judaico que está baseado na lua.

Os membros da seita de Qumran se auto-denominavam Yahad, que em Hebraico significa Juntos ou Unidos. Eles eram um grupo considerado como fanáticos pois viviam em uma comunidade isolada em um estilo ermitão de vida, eles eram perseguidos. Eles escreveram inúmeros manuscritos, entre eles, alguns eram codificados afim de que a compreensão ficasse somente entre os membros da seita, o calendário era um dos codificados.

A peculiaridade deste calendário é impressionante, além de diferir do calendário judaico lunar, ele facilitava a divisão por 4, como quatro estações por exemplo e também a divisão por sete, no caso, pelas semanas. O calendário judaico hoje é um calendário híbrido, ele se baseia na lua mas tem correções anuais baseadas no sol.

O pergaminho ainda revela quatro dias especiais na passagem das estações, utilizando o termo Tekufot, muito familiar na literatura talmúdico escrita mais de 200 anos depois. Além disso, ele descreve duas ocasiões especiais não descritas na Bíblia, a Festa do Vinho Novo e a Festa do Azeite Novo, que são extensões da Festa de Shavuot, ou seja, de Pentecostes.

De acordo com o calendário, a festa do Trigo Novo ocorre 50 dias após ao primeiro Sábado da Páscoa Judaica, o Pessach. A Festa do Vinho Novo ocorre 50 dias após a primeira festa, e a Festa do Azeite Novo ocorre em um intervalo de mais 50 dias.

Banner Camisetas Cafetorah
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *