Síria – Israel contra-atacou posto miliar sírio após disparos de morteiros contra o Golan

Síria - O IDF atacou um posto sírio em resposta ao fogo de morteiro perto da fronteira, e os rebeldes transferiram o controle da passagem de fronteira para a Jordânia

Em resposta, o porta-voz do IDF afirmou que "a IDF não está envolvida nos combates internos na Síria e continuará a insistir na implementação dos acordos de retirada de 1974, incluindo a manutenção da zona de cessar-fogo".

Mais cedo na sexta-feira, foi relatado que as forças militares no sul da Síria haviam avançado ao longo da fronteira jordaniana, ocupando uma série de aldeias. De acordo com relatos árabes, como parte do acordo de rendição dos rebeldes, o controle da travessia da fronteira Nassib entre a Síria e a Jordânia foi transferido. Espera-se que os rebeldes que controlam a área abandonem suas armas pesadas e se mudem para o norte da Síria.

Em Israel, estima-se que o exército sírio esteja se preparando para ocupar a parte sul do país, incluindo a área de fronteira nas Colinas de Golã em um tempo muito curto, dentro de alguns dias a algumas semanas. O exército sírio foi autorizado a operar imediatamente para completar a redistribuição na área antes dos meses de inverno.

A atividade militar síria está agora concentrada na área de Dar'a, na fronteira sírio-jordaniana. O exército sírio já controla quase todo o território entre Daraa e Damasco, cercando Daraa e bombardeando-a do ar, e estima-se que a cidade cairá em breve em suas mãos. Espera-se que o exército sírio se mova em direção às colinas de Golan, primeiro ao sul do platô, para uma área controlada por organizações afiliadas ao ISIS e, mais tarde, ao norte, junto ao monte Hermon.

Em situações como esta é comum que ocorram disparos aleatórios que ultrapassam a fronteira, porém o Estado de Israel não vai tolerar nenhum tipo de agressão, mesmo que seja por acaso. Esta política é seguida rigidamente afim de garantir que a zona de cessar-fogo seja preservada e não invadida por forças militares sírias.

Por enquanto, Bashar Al-Assad continua massacrando o seu povo com apoio da Rússia, e o Mundo não fala nada, só assiste de camarote.

Foto: Pixabay, Colinas de Golan, Israel