Jornalista libanesa pode ser condenada por insinuar que Israel deveria exteminar líder do Hezbollah

Um juiz libanês emitiu no sábado um mandado para a prisão da jornalista libanesa Maria Malouf, acusada de incitar o assassinato do líder do Hezbollah, Hassan Nasrallah.

De acordo com uma fonte envolvida no assunto, Malouf é acusada de incitamento que põe em perigo a segurança do estado e seus residentes.

"Se Israel quiser paz com o Hezbollah, terá que chegar a um acordo com ele, e se vê Nasrallah como um inimigo, por que não inicia faz um ataque aéreo e acabou?"

O mesmo clima ressoou e levou ao fato de que vários advogados locais apresentaram mais de uma queixa contra ela, mas a jornalistaMaria Malouf alegou que suas declarações não tinham sinal de apoiar Israel, como os mesmos advogados a acusaram.

Malouf afirma em sua conta no Twitter que planeja processar o próprio Nasrallah porque ela "ganha" muitas ameaças à sua vida após a publicação do mesmo tweet. A jornalista, é claro, fugiu do Líbano e, de acordo com vários relatórios, ela está em Dubai.

Se for considerada culpada no processo, ela pode entrar na prisão por no mínimo sete anos.

Até os libaneses sabem que se Israel exterminasse o líder do Hezbollah, os Estado de Israel estaria fazendo um grande favor ao povo libanês.

Fonte: IsraelHayom

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *