O Deserto da Judeia – Programa a Bíblia Viva

Top Banner eTeacher

O Deserto da Judeia é simplesmente uma região incrível. Espremido entre o litoral de Israel e o Vale do Jordão, esta região desértica é o cenário bíblico de reis, profetas e sacerdotes. Desde a antiguidade até os dias de hoje. No passado eram sacerdotes e reis, hoje são peregrinos, monges e nômades.

O deserto se extende desde as mais altas montanhas na Judeia, na região de Hebron, alcançando cerca de 1000 acima do nível dos oceanos e vai se expandindo e descendo rumo ao Mar Morto que está localizado a cerca de 430 metros abaixo do nível dos mares. Ou seja, uma diferença incrível de mais de 1400 metros de altitude.

Neste corredor de diferença na pressão atmosférica se desenvolve um clima único. Seu solo é basicamente de origem sedentária, ou seja, no passado ele estava no fundo do mar, portanto é muito rico em sais de uma forma geral. Neste sentido, isto também dificulta muito a agricultura de uma forma geral, mas se torna o local apropriado para cultivos de regiões semi-desérticas e desérticas.

Desde o milagre agrícola em Israel, os israelenses estão desenvolvendo cultivos de vinhas, oliveiras e tâmaras, cujos sabores são incomparáveis as de outras regiões devido ao solo diferenciado. Viver no Deserto da Judeia não é uma tarefa fácil, nunca foi, mas com a tecnologia, os ar-condicionados, nos últimos anos a tarefa está mais fácil. Com temperaturas que podem varia de 50 graus de dia e até zero de noite, a vida selvagem ainda é preservada.

No deserto da Judeia podem ser vistos ainda hoje muitos lobos, coiotes, raposas, espécies de cabras montesas, antílopes, hienas, coelhos da rocha, muitas serpentes, lagartos, grandes felinos como panteras do deserto e os mais comuns, camelos e ovelhas. Mesmo sendo um lugar tão seco e árido, é possível encontrar riachos e fontes neste deserto, o que ajuda a preservar sua fauna e flora. Alguns destes riachos transformam-se em verdadeiros oásis no coração do deserto, os mais conhecidos entre eles são o Riacho de Davi, Nachal Dragot e Ein Fashkha(Einot Tzukim).

Os antigos caminhos desde a antiguidade ainda podem ser vistos, e sem dúvida alguma, as grandes estradas foram construídas nas mesmas rotas comuns da antiguidade. Sair da estrada principal e caminha no deserto por si só é uma experiência incrível. Uma boa sugestão para isso é a região do Wadi Qelt, o riacho de Querite na Bíblia, cenário da história do Profeta Elias e do Bom Samaritano. Além disso, segundo os evangelhos, foi nesta região que Jesus foi tentado por Satanás.

eTeacher Banner Central
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *