Os iranianos já pularam a cerca para Israel

,

Você pensou que os iranianos estavam nas cercas? A exposição de Shin Bet à célula Iraniana de Hebron, além da munição usada pela Jihad em Gaza, apontam para um fato claro - os iranianos já atravessaram as cercas, e eles estão aqui já faz algum tempo.

O Irã marcou dois "demônios" em seus alvos focados: o "Grande Satanás" - a América e o "Pequeno Satanás" - Israel, é claro. É por isso que muitas vezes vemos as bandeiras da América e de Israel, juntando-se às fotos dos líderes, queimadas ao som da multidão. E agora, parece, eles estão tentando se juntar à "União dos Oprimidos" ou ao "eixo do mal" que inclui o Líbano e a Síria, outros parceiros. O Iraque já está "um pé e meio" lá, e depois da queda do ISIS, com mais intensidade ainda.

O Iêmen também está a caminho, e agora o povo palestino está caindo em seus braços abertos. Mas os palestinos sabem que no momento em que isso acontecer, não tem mais volta. Não haverá mais "autoridade palestina", o que haverá sim é um inferno na terra.

Na última década, o Hezbollah tem tentado estabelecer uma posição na Judéia, Samaria e Gaza, e quem é exatamente o Hezbollah, se não um ramo iraniano de Per-Excellence?

É precisamente agora que o presidente dos Estados Unidos ameaça cortar a ajuda financeira aos palestinos, no que diz respeito aos iranianos, esta é uma oportunidade para fortalecer a hegemonia regional e "implantar" os perpetradores da destruição. Estes serão transferidos para a infra-estrutura, conhecimento, treinamento e treinamento de palestinos abandonados e isolados que os servirá nas próximas rodadas. Desta forma, o polvo iraniano aperfeiçoará seus braços e tentará estrangular o "pequeno diabo" - como ele diz.

Enquanto isso, regime do Ayatollah, que está atualmente sob protesto público interno, há anos vem desenvolvendo as ramificações de al-Quds, algumas das quais estão dormentes e algumas estão ativas, em todo o mundo. O propósito dessas células é semear a destruição e ajudar o regime diabólico no Irã a tocar os "sinos da revolução islâmica" que tocam desde o final da década de 1970.

Este regime estabeleceu um objetivo supremo, que é reproduzir o modelo do Irã para todos os lugares do mundo, uma espécie de evangelização do inferno. Nos últimos protestos em relação a portais de segurança na entrada do Monte do Templo, a alimentação dos crápulas foi toda paga por Teerã, mas o povo iraniano não para de protestar pela fome que está passado. Os impostos estão sufocando o país e as promessas de melhoras após o acordo nuclear estão escoando ralo abaixo.

Fonte: IsraelHayom, NRG, YnetNews - Foto ilustração, PixaBay

1 responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *