Palestinos ameaçam o mundo por causa de Jerusalém

Top Banner eTeacher

Palestinos ameaçam o mundo por causa de Jerusalém - Abu Mazen(Abbas), o presidente da "Autoridade Palestina" falou ao telefone com o rei Abdullah da Jordânia, o presidente egípcio Abd al-Fattah al-Sisi, o presidente francês Emmanuel Macron e o Emir do Qatar Sheikh Tamim bin Hamad Aal Thani. Mahmoud al-Habash, um dos conselheiros de Abu Mazen, advertiu veementemente contra essa declaração americana. As declarações dele foram feitas em frente a Abbas e com o consentimento dele, portanto representam a opinião da "Autoridade Palestina".

Reposta a declaração de Donald Trump que nem mesmo aconteceu ainda: "Uma declaração americana de reconhecimento de Jerusalém como a capital de Israel - se houver uma - significa destruição a total do processo de paz", disse ele quando Abbas estava do seu lado. "O mundo inteiro pagará um preço por qualquer mudança ou dano à realidade política de Jerusalém".

O Hamas também alertou contra as implicações de tal declaração. "Esta decisão constitui um golpe flagrante dos Estados Unidos em Jerusalém e concede legitimidade a Israel na cidade", afirmou a organização em comunicado. De acordo com a afirmação: "Este passo também é uma violação flagrante do direito internacional segundo a qual Jerusalém é território ocupado e protege os crimes de judaizar a cidade e a expulsão dos palestinos... Solicitamos ao povo palestino que se mantenha como um muro impenetrável e renovem a Intifada(onda de terrorismo e violência armada) em Jerusalém."

As declarações de Donal Trump serão de importância tremenda, visto que ela estará indicando que o tempo está passando e é contra os árabes, se eles não chegarem a um acordo de PAZ com Israel o quanto antes, não vai sobrar sobre o que negociar. Se não houver um acordo de paz nos próximos anos, é bem possível que milhares de "palestinos" saiam da região sob incentivo financeiro e Israel declare a soberania sobre todo território desde o Mediterrâneo até o Jordão. Os árabes chamados "palestinos" não tem uma raiz histórica ligada a Terra de Israel e a Jerusalém, por isso estão mais propensos a deixarem a região do que os judeus que chegam em massa todos os anos. Uma vez os palestinos experimentam uma vida tranquila e econômica melhor em qualquer parte do planeta, nuca mais querem voltar ou falar de voltar para esta terra que nunca foi deles de fato. Todos os anos tem crescido o número de palestinos que preferem sair da região em busca de novas oportunidades mundo a fora. Muitos anseiam por receber cidadania Israelense, afim de receberem direitos civis básicos que não recebem sob a liderança "palestina".

A liderança "palestina" só esqueceu de comentar que de fato, Jerusalém já é a Capital de Israel em sua totalidade desde 1967 quando conquistou-a e unificou-a na Guerra dos Seis Dias. Nenhuma ameaça e nenhuma violência mudará o fato de que Adonai trouxe seu povo, herdeiro desta terra, de volta e definitivamente para habitar em Sião. Um bando de gente que ameaça o Mundo inteiro com o terrorismo não pode ser chamado de povo e não pode ter o direito de reivindicar posse sobre território algum. Esta máfia chamada de "Autoridade Palestina" vai cair e não prevalecerá. Os palestinos ameaçam o mundo e Israel, mas quem defende o Povo de Israel é Adonai Tzevaot - o Senhor dos Exércitos.

Desde Sião,

Miguel Nicolaevsky, Diretor do Cafetorah e do Ministério Palavra de Sião

Fonte: Ynet, NRG, IsraelHayom

Foto: Pixabay

eTeacher Banner Central
1 responder
  1. Ana Lima
    Ana Lima says:

    O Que esta escrito nos profetas sobre Israel e Jerusalém ira acontecer,mas ai daquele que
    mexer com a menina dos olhos do Eterno,oremos pela paz de Jerusalém,oremos pelo
    povo de Deus espalhados em toda terra.

    Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *