Qatar atrasa pagamento para Hamas e pode gerar novo conflito com Israel

Banner CD Desperta, Thais Schucman

Mais uma vez ficou claro que o Hamas não passa de um grupo terrorista que age como uma verdadeira máfia, se dinheiro do suborno do Qatar não chegar, a situação ficará explosiva.

Uma delegação de oficiais de inteligência egípcios se reuniu com o chefe do departamento da organização política do Hamas, Ismail Haniyeh, e outros ativistas do grupo terrorista após um alto funcionário do Hamas ser citado nos meios de comunicação palestina, quando ele diz que, em vista do atraso na transferência de salários dos "funcionários" do Hamas pelo Qatar, em torno de 15 milhões de dólares, a violência pode retornar.

Os oficiais de inteligência egípcios chegaram a Gaza para supervisionar a "marcha de retorno", realizada toda sexta-feira ao longo da cerca de fronteira, e evitar a possibilidade de escalada em caso de confrontos na área da cerca.

O jornal "Al Arab Al Jadid" informou que autoridades militares israelenses enviaram uma mensagem aos homólogos egípcios que Israel quer que o Egito permita a abertura da passagem de Rafah nos dois sentidos, a fim de evitar a "asfixia" da Faixa de Gaza - que podem aumentar em muito as chances de escalada na violência.

Recentemente, foi relatado que o Egito fechou a passagem de Rafah completamente, tanto o tráfego civil quanto a passagem de mercadorias em ambas as direções, depois que as forças de segurança do Hamas assumiram o controle do lugar de cruzamento dos serviços de segurança no lugar da Autoridade Palestina.

De fato, quem mais bloqueia os moradores de Gaza não é o Estado de Israel, mas sim o governo do Egito, pois os árabes e os egípcios sabem muito bem quem são o Hamas e os palestinos que vivem em Gaza.

Fonte: IsraelHayom, Imagem: PixaBay

eTeacher Banner Central