Trégua entre Israel e Hamas

Depois de uma rodada de violência entre Hamas e as Forças de Defesa de Israel - IDF e nenhuma baixa para nenhum dos lados, um cessar fogo está sendo aparentemente respeitado por ambos os lados.

As negociações afim de evitar que Israel envia-se as tropas das Forças de Defesa de Israel - IDF  para mais uma operação militar em Gaza, foi intermediada pelo governo do Egito que tem interesse na questão.

Os egípcios não receberam o consentimento de Israel para o que o Hamas exigia. O Cairo tem um duplo interesse em evitar a escalada na Faixa de Gaza, o primeiro é permitir que o ISIS sejam combatidos no Sinai, enquanto o Hamas restringe os ativistas do ISIS na Faixa de Gaza, que ajudam seus comparsas no Sinai. O segundo interesse dos egípcios é provar que eles têm influência na Faixa de Gaza e, assim, ganhar prestígio no mundo árabe e na arena internacional.

Em Jerusalém, o Estado de Israel se recusou a jogar o jogo do Hamas e informaram ao Egito que Israel não chegaria a nenhum acordo com o Hamas e a Jihad Islâmica enquanto eles atirassem.

Somente se o silêncio for alcançado, Israel deixará de atacar a Faixa de Gaza. As organizações palestinas responderam com raiva, disparando dezenas de morteiros e foguetes à noite toda e perseguindo os moradores do perímetro de Gaza com veículos blindados. Um míssil de fabricação iraniana explodiu em um campo de futebol em Netivot, e outro atingiu uma casa em Eshkol. Mas a maior parte do disparos foram interceptados pelo sistema de defesa Domo de Ferro.

A IDF já havia apresentado planos pré-preparados que foram apresentados ao Gabinete de Segurança e Política do Governo de Israel. Eles elevaram o nível de resposta e atacaram dezenas de alvos na Faixa de Gaza pela manhã, como no passado, apenas contra alvos militares do Hamas e da Jihad Islâmica. Dando ainda a possibilidade das organizações terroristas pararem o fogo sem sofrerem perdas.

A IDF sabe muito bem que o Hamas e a Jihad Islâmica têm uma rotina regular: assim que abrem fogo, eles abandonam as instalações e a sede do governo do Hamas, eles tem conhecimento de que a IDF vai atingi-los. Portanto, a IDF poderia atacar instalações importantes e a sede das duas organizações, sabendo que não haveria baixas e que não forçaria os palestinos a escalar o fogo, mas a resposta foi dolorosa, mas para os palestinos. Durante a madrugada eles disseram aos egípcios que eles estavam preparados para cessar unilateralmente o fogo, assumindo que Israel continuasse a seguir uma política de calma, se assim a IDF respondesse aos egípcios.

Pela manhã a IDF instruiu a população a realizar os estudos regulares nesta manhã na região de Israel em torno da Faixa de Gaza.

O Cessar Fogo começou por volta da 1 hora da madrugada, apenas pequenas organizações chamadas de "rebeldes" continuaram a disparar esporadicamente. Com o passar das horas o Hamas fez esforços para evitar que eles continuassem a disparar, caso contrário a IDF voltaria a detonar alvos terroristas em Gaza.