Turcos contrabandearam equipamento nuclear israelense para o Irã

Top Banner eTeacher

Este artigo exclusivo foi publicado em sua versão original no YnetNews e revela a cumplicidade da Turquia no programa nuclear do Irã. Enquanto seu presidente Erdogan desfila rios de ódio contra o Estado de Israel, seu país é o primeiro a ajudar o Irã que constantemente ameaça o Povo de Israel de extermínio. Através deste artigo podemos ver como funciona os caminhos do terrorismo nuclear. YnetNews e Yediot Aharonot que divulgaram o caso estão de parabéns, a ilustração do equipamento é da própria empresa que o produziu em Jerusalém.

A ONU iniciou uma investigação contra a Turquia por vender equipamentos eletrônicos para o Irã. O equipamento aparece na lista de artigos proibidos para exportação para a República Islâmica no âmbito da Resolução 2231 do Conselho de Segurança da ONU de 2015. A resolução proíbe a transferência para o Irã de bens e tecnologias relacionadas com energia nuclear.

As Nações Unidas também pediu a Israel para abrir uma investigação depois que ficou claro que o equipamento equipamento eletrônico enviado ao Irã através da Turquia não é outra senão uma empresa israelense com base em Jerusalém que é um dos principais fabricantes de circuitos eletrônico.

O governo dos Emirados Árabes Unidos, que apreendeu o envio de equipamentos dos eletrônicos da Turquia para o Irã em julho de 2017, liderou a investigação. No embarque, as autoridades de segurança dos EAU identificaram os capacitores eletrônicos que não deveriam ter sido transferidos para o Irã sob a resolução do Conselho de Segurança da ONU.

No embarque, foram confiscado os capacitores CSP 180-300 fabricados pela empresa israelense. "Nós apreciamos se o governo fornecer logo as informação relevantes sobre o assunto", disse o apelo do Secretariado das Nações Unidas, que é o corpo deve verificar a violação das resoluções do Conselho de Segurança.

A empresa Celem que produziu o circuito é uma das maiores empresas de capacitores eletrônicos. Na Celem Eletrônicos ficaram em choque com o pedido do Secretário da ONU, e disseram em resposta que realmente venderam um carregamento de capacitores para uma empresa turca após a verificação da confiabilidade da empresa e de terem recebido o pagamento do envio com antecedência.

Além disso, na resposta, foi relatado que a empresa Celem não tinha ideia de que os equipamentos seriam enviados para o Irã. "Vamos cooperar com cada investigação que for realizada. Vamos mostrar que vendemos de forma organizada para uma empresa da Turquia. Nós não vendemos para países inimigos. A maioria das nossas vendas são para a Europa e os Estados Unidos, mas a Turquia não é um país inimigo e não tínhamos nenhuma razão para rejeitá-los. De qualquer forma, se a remessa chegou ao Irã, o comprador turco nos traiu", disse a empresa.

Fonte: YnetNews e Yediot Aharonot  - Imagem: Celem Power Capacitors

Banner Camisetas Cafetorah