Tzippori, a capital bizantina da Galileia

Top Banner eTeacher

Quando visitamos Tzippori pela primeira vez não sabíamos o que esperar, pois já havíamos ouvido falar e lido sobre sua riqueza em mosaicos e beleza natural a sua volta.

Em uma visita em uma das épocas mais adequadas, o começo da primavera, encontramos um parque nacional simplesmente lindo, com acesso para deficientes e excelente estrutura de conveniências.

A beleza natural da região se destaca ainda mais na primavera quando a região se enche de flores e as oliveiras a sua volta estão exuberantes. Além de tudo isto, o clima favorável desta época facilita as longas caminhadas que são necessárias.

A História de Tzippori

Tzippori ( hebraico : צִפּוֹרִי, ציפורי), também conhecido como Séforis, Dioceserea e Saffuriya ( árabe : صفورية, também transliterado Safurriya e Suffurriye) está localizado na região central da Galiléia, região, 6 km (4 milhas) a noroeste de Nazaré. O local tem uma diversidade histórica e arquitectónica e um rico legado que inclui assírio e helenístico, da Judéia, babilônico, romano, bizantino, islâmico, cruzados, árabes e influências otomanas.

Com o interesse por parte de arqueólogos bíblicos que está relacionada com a crença e tradição de que os pais da Maria, Anna e Joaquim , eram nativos de Séforis, que na época era uma cidade bem helenizada.

Outras estruturas incluem um notável teatro romano, duas igrejas cristãs, uma fortaleza dos cruzados, que foi renovada por Daher El-Omar , no século 18, e cerca de 40 grandes mosaicos.

Seforis ou Tzippori serviu como um centro de judeus e da vida espiritual e religiosa na Galileia. Podem ser vistos ali restos de uma sinagoga do século VI que foram descobertas na parte inferior da cidade. No século VII a cidade ficou sob o domínio dos árabes dos califados.

Sucessivas autoridades árabes e islâmicas governaram a região até o final da primeira Guerra Mundial, com uma breve interrupção durante as Cruzadas. Até a expulsão forçada de seus habitantes por forças israelenses em 1948-1949, Saffuriya era um árabe vila.

O moshav (vilarejo) israelense Tzippori foi estabelecido junto ao local em 1949, e a área ocupada pela antiga aldeia árabe foi designada ao parque nacional em 1992. O Moshav Tzippori está sob a jurisdição do Conselho Regional do Vale de Jezreel, e em 2006 tinha uma população de apenas 616 pessoas.

Embora a data do seu estabelecimento é um ponto de controvérsia, é pelo menos tão antiga quanto o século VII AC, quando foi fortificada pelos antigos assírios, e, posteriormente, serviu como centro administrativo da região no âmbito da Babilônia, helênica e persa. Até este período, a cidade era conhecida como Séforis.

Em 104 AC , os macabeus tomaram a cidade, quando ela foi chamada de Tzippori e pode ter derivado no hebraico da palavra 'pássaro, tsippor, talvez por causa da visão panorâmica que a colina oferece.

O Reino dos macabeus foi dividido em cinco distritos pelo pró-cônsul romano Gabinius Séforis e caiu sob o domínio directo dos romanos no ano 37 AC , quando Herodes, o Grande , conquistou a cidade de Mattathaias Antígono quando teria naquela altura sofrido com uma tempestade de neve.

Tzippori do tempo de Jesus era uma cidade influenciada por Roma, era grande e um local de ativismo político. A evidência arqueológica que apóia a idéia de que Jesus, vivendo em Nazaré, fez a maior parte da sua atividade profissional em Tzippori.

Após a morte de Herodes em 4 AC, grande parte da população judaica da cidade se rebelou contra o domínio romano. O exército romano se mudou, sob o comando do governador romano na Síria, Varo. O exército romano destruiu completamente a cidade e vendeu muitos de seus habitantes como escravos.

O filho de Herodes, chamado Herodes Antipas foi feito tetrarca, ou governador no ano 1 DC , e proclamou o novo nome da cidade, Autocratis, ou o ornamento "da Galiléia". A antiga rota ligando Séforis a Legio , e mais para o sul de Sebastia - Samaria , provavelmente foi pavimentada pelos romanos por volta dessa época.

Os habitantes de Autocratic não aderiram à resistência contra o domínio romano na Primeira Revolta Judaica de 66 . Eles assinaram um pacto com o exército romano e abriram as portas da cidade para o general romano Vespasiano em sua chegada em 67DC.

Eles foram recompensados, e os romanos pouparam a cidade da destruição sofrida por muitas outras cidades judaicas, incluindo Jerusalém.

Moedas cunhadas na cidade na época da Revolta levaram pela primeira vez a inscrição Neronias e Eirenopolis, "Cidade da Paz". Depois simbologia da revolta, foram usado nas moedas outras representações de coroas de louros, palmeiras, caduceus, e as folhas de cevada.

Pouco antes da revolta de Bar Kochba, a cidade havia mudado novamente o nome para Diocaesarea. Após a revolta de Bar Kochba em 132 - 135 DC, muitos refugiados judeus se estabeleceram alí, transformando-a no centro da vida religiosa e espiritual na Galiléia. rabino Yehuda haNasi , um dos compiladores da Mishná, um comentário sobre a Torah , mudou-se para Tzippori, juntamente com o Sinédrio , o mais alto tribunal religioso judaico.

Antes de se mudar para Tiberias em 150 DC. as eshivot(seminários) judaicas de aprendizagem ficavam baseadas alí. Diocaeserea, assim chamada em homenagem a Zeus e ao imperador romano, tornou-se não apenas um centro de estudos religiosos e espirituais, mas também uma rota de comércio da cidade.

Diocaesarea foi destruída pelo grande terremoto de 363 DC na Galileia , mas, reconstruída pouco tempo depois, mantendo a sua importância para a maior comunidade judaica da Galileia, social e espiritualmente. Judeus e romanos pagãos viviam pacificamente lado a lado durante o período bizantino, a cidade acolheu um grande número de cristãos também.

Em 634 DC a cidade foi ocupada pelos muçulmanos que governaram por um grande período a região, sendo seu governo somente interrompido por um breve período durante as cruzadas. A cidade experimentou cerca de 14 séculos de paz, desde Herodes Antipas até o Período Otomano, com cidadãos de diversas etinías vivendo em harmonia ali, judeus, romanos, árabes e cristãos, até a tomada da região por Israel no ano de 1948.

Banner Camisetas Cafetorah
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *